Emagrecimento

O acúmulo excessivo de tecido adiposo é resultado de um excesso crônico de calorias advinda de alimentos e bebidas fonte de proteínas, carboidratos, lipídios e álcool em relação ao gasto energético (metabolismo basal, efeito termogênico e atividade física). A causa da obesidade é multifatorial sendo divididas em causas exógenas (externas) como estilo de vida (hábitos alimentares, sedentarismo, alcoolismo, tabagismo, etc.) representando 95% dos casos e causas endógenas (internas) como fatores genéticos, hormonais, psicológicos e metabólicos.

Leia também: Phytophen Anvisa

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o número de obesos entre 1995 e 2000 passou de 200 para 300 milhões, perfazendo quase 15% da população mundial. Estimativas mostram que, em 2025, o Brasil será o quinto país no mundo a ter problemas de obesidade em sua população. De acordo com o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, em 2003, existiam mais de 100 milhões de pessoas acima do peso no país, representando 55% da população adulta.

Atualmente a obesidade é considerada um dos maiores problemas de saúde pública e uma epidemia global, sendo uma enfermidade crônica não-transmissível que mais cresce no mundo, caracterizada pelo acúmulo excessivo de adiposidade corporal a um nível tal que resulte no comprometimento da saúde.
Leia também: Kifina anvisa

A busca pela perda de peso principalmente entre as mulheres fazem com que as pessoas busquem a todo custo qualquer alternativa que prometa e garanta tal fato, sem levar em consideração sua eficácia e principalmente a segurança da saúde. Essas alternativas são dietas prontas da internet, revistas, televisão, amigos e por incrível que pareça, por alguns profissionais não nutricionistas que as prescrevem. Mas qual o problema dessas “dietas”? Primeiramente aqueles que as prescrevem não têm formação experiência e capacidade para tal, não é realizada nenhuma avaliação (anamnese, antropometria, avaliação clínica, física, consumo alimentar, etc.) assim não se tem nenhum dado além do peso, altura e idade do cliente. Você deve está se perguntando, mas só isso é necessário!!! Continue lendo e veja!!! Aproximadamente 95% das pessoas que fazem “dietas” e perdem absolutamente peso (até 20Kg em 1 mês) não conseguem manter esse peso e acabam voltando para o peso até ganhando mais do que tinha. Você deve estar pensando “fala sério”!! Calma não é sério é muito, extra, extremamente, mega, hiper sério. Vou explicar o que acontece.

A “Indústria do Emagrecimento” é gigantesca e movimenta milhões de dinheiro por ano. A indústria quer continuar se sustentando e como que ela poderia se sustentar sem clientes e consumidores? Agora pare e pense! Se essas “dietas” funcionassem, realmente tivessem efeito a longo prazo e trouxesse melhora da qualidade de vida para as pessoas não teria toda essa porcentagem de pessoas acima do peso e obesas no mundo. Qual seria a vantagem dessas indústrias em expor as verdades sobre nutrição e trabalharem com profissionais da área? Reflita!!!

Agora o que significa o peso e altura para quem quer perder gordura corporal? Absolutamente não tudo isso que todos acham!!! O peso é a união entre massa magra (músculos, órgãos, ossos e água) e a gordura corporal. Perder peso não é sinônimo de perder gordura. O objetivo da nutrição é fazer a pessoa com excesso de gordura corporal (obesidade ou sobrepeso) emagrecer, isto é, perder exatamente a gordura. Emagrecer significa perder gordura, perder peso significa perder água e músculos e gordura, e não é essa a intenção. Assim vamos concluir deixando bem claro que perda e ganho de peso não são matematicamente coerentes. Veja bem -> se diminuir 1500 calorias por dia, matematicamente sabemos que em uma semana terá um déficit de 10500Kcal e 45000Kcal em um mês certo? Bom a conta está, mas qual o comportamento do nosso corpo perante este fato? Geralmente quando se corta muita energia principalmente advinda de carboidratos a queda de peso nas primeiras semanas é acentuada, realmente se perde muito peso, assim a pessoas ficam muito animadas. Com o passar das semanas vai percebendo que está perdendo cada vez menos peso até perceber, tristemente, que parou de perder peso, mesmo cortando 1500Kcal. Assim você pensa, irei cortar MAIS calorias? Ai as coisas começam a ficarem complicadas de fato. Veja abaixo.

O corpo humano é extremamente inteligente ele se adapta a tudo principalmente se tratando de perda/ganho de peso. O corpo possui um mecanismo de auto defesa importantíssimo denominado (STARVATION MODE), isto é, MECANISMO DE DEFESA CONTRA INANIÇÃO (Estado sem Alimentos). Quando o corpo começa a perceber que parou de receber alimentos e que seu reservatório de alimentos ficou mais escasso, ou seja, que você está comendo muito menos, ele começa imediatamente a economizar energia. Mecanismo este que faz um ser humano ficar dias sem se alimentar e não morrer. Mas o que o corpo faz exatamente? Continue lendo.

Você sabia que o nosso corpo gasta energia (calorias) para o coração bater, digestão de alimentos, mastigação, pensamento, etc. Uma pessoa em repouso (dormindo) está gastando energia, isso é chamado de METABOLISMO, e é regulado por hormônios. O que acontece com essas “dietas” muito baixas em energia (principalmente carboidratos) é que o corpo diminui o metabolismo, ou seja, ele passa a gastar menos energia para realizar suas funções, e gasta a energia de maneira mais eficiente. Estudos mostram que esse mecanismo quando ativado diminui o metabolismo em até 30%. Isso é extremamente ruim para quem deseja a perda de gordura. Quanto menos energia se gasta mais fácil é o ganho de peso e gordura. Assim queremos que o corpo gaste sempre mais energia. Dietas muito restritivas irão ativar esse mecanismo muito rápido (em dias) e assim o ritmo da perda de peso só irá diminuir até parar, estado que chamamos de plateau. A situação vai só piorando não se perde mais peso, a fome vai só aumentando, os níveis de energia estão baixos causando, fadiga, fraqueza, tonturas, o ânimo para seguir não é o dos melhores e assim a pessoa acaba desistindo.

A perda de peso perdido nas primeiras semanas não é tão bom quanto parece, o que se perde não é gordura e sim água. Ai você pensa legal, agora já perdi água então vou perder gordura né? A resposta é NÃO, NÃO E NÃO! Agora você vai perder músculos para gerar energia, somente um pouco de gordura em uma proporção bem menor é queimada. Resultado: mais da metade do peso perdido foi água e músculos. Calma o piro está por vir… Seu corpo já está gastando menos energia, e essa energia é racionalizada, e agora você está perdendo músculos que é o tecido metabolicamente ativo do seu corpo, isto é, o músculo gasta muito energia só por existir, assim quanto mais músculos mais energia gasta. Estudos mostram que cada Kg de músculos gasta aproximadamente 100Kcal por dia só para mantê-lo. Mas você está perdendo-o. Estudos mostram que em dietas muito restritivas por um período prolongado e principalmente sem a prática de exercícios, 40% a 45% do peso perdido é músculo. Calma! não acabou ainda, quando você come pouco, o corpo fica mais apto a armazenar a energia como gordura. Mas o que isso significa? O corpo irá preferir armazenar a energia sempre como gordura e não mais como glicogênio (carboidrato) que era o meio preferido pelo corpo. Veja que são muitos fatores importantes contra a perda de gordura. Você faz um “tratamento” para perder gordura e seu corpo faz exatamente tudo ao contrário para que seu corpo não perca e ainda ganhe mais. Ainda se não bastasse, tem mais!!! As adaptações bioquímicas que ocorrem fazem com que o corpo tenha dificuldades de utilizar a gordura como fonte de energia. Nossa que desastre não? Vamos continuar…

As pessoas depois de semanas fazendo este meio de “dieta” não conseguirá continuar e assim abandona o tratamento e volta a se alimentar mesmo de maneira saudável, como antes. O que irá ocorrer? Como estava ingerindo 1500Kcal a menos (isto é um exemplo somente) e agora voltou a se alimentar “normalmente” inserindo novamente esses 1500Kcal, você irá ganhar todo o peso que tinha perdido novamente, devido o aumento de energia, mas você engordará (engordar = ganhar gordura) muito mais fácil, porque seu corpo estará mais apto a estocar essa energia em gordura, seu metabolismo está muito baixo, seu corpo está racionalizando energia, você perdeu músculos, assim você terá uma chance de ganhar mais peso do que tinha antes de iniciar a “dieta” e esse peso será mais gordura do que músculos e água. Vamos ver abaixo o que ocorre de fato.

EXEMPLO: Vamos supor que antes da “dieta” tinha:

Peso = 80Kg

% gordura = 30 Isto é: 24Kg de gordura e 56Kg de massa magra.

Em semanas com a dieta você perdeu 10Kg, NOSSA 10Kg. Calma! Veja agora. Peso = 70kg

% gordura 29 Isto é = 20,3Kg de gordura e 49,7 de massa magra.

Veja que perdeu 3,7kg de gordura E 6,3 DE MASSA MAGRA. Perdeu mais massa magra do que gorda. Com o passar das semanas você não conseguiu seguir a “dieta” e voltou a rotina normalmente. Depois de semanas que parou com a dieta veja o que aconteceu.

Leia também: descubra Como emagrecer rápido

Resultado ganhou 10kg a mais do que tinha antes da “dieta mirabolante” e ainda aumentou percentual de gordura e praticamente não ganhou nada de massa magra. Você ficou mais gordo(a) do que antes.

ATENÇÃO!!! Isso verdadeiramente ocorre, não é piada!!! O uso de medicamentos quando não há a necessidade de seu consumo para perda de peso ocasiona o mesmo fato ocorrido acima. Preste Atenção o uso de medicamento para emagrecer é somente em último caso, quando várias alternativas foram feitas e não se obteve resultado satisfatório, sendo assim um problema não alimentar e do estilo de vida, mas uma doença, problemas endócrinos, etc.

Lembre-se procure sempre um nutricionista antes de qualquer alteração na sua alimentação. Abraço a todos e a todas e não deixem de ler o artigo que dá sequencia ao nosso objetivo para o emagrecimento (PONTOS IMPORTANTES PARA O SUCESSO DA PERDA DE GORDURA NA REALIZAÇÃO DE UM PLANO ALIMENTAR).

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *